‘Marca-passo’ sob a mandíbula é nova alternativa para apneia do sono

0
42
Procedimento foi feito no Brasil pela primeira vez com autorização especial. Eletroestimulação de nervo impede obstrução do fluxo de ar durante sono.
Procedimento foi feito no Brasil pela primeira vez com autorização especial. Eletroestimulação de nervo impede obstrução do fluxo de ar durante sono.
Procedimento foi feito no Brasil pela primeira vez com autorização especial.
Eletroestimulação de nervo impede obstrução do fluxo de ar durante sono.

Quem sofre de apneia do sono pode ter, em breve, uma nova alternativa para tratar o problema no Brasil: o implante de um “marca-passo” sob a mandíbula que, por meio de pequenos choques elétricos, impede a musculatura da língua e da faringe de relaxar e consequentemente obstruir a passagem de ar.

A apneia obstrutiva do sono – caracterizada por interrupções de pelo menos 10 segundos no fluxo de ar durante a noite – pode aumentar o risco de vários problemas de saúde, como hipertensão, acidente vascular cerebral (AVC) e infarto. O paciente também pode ter sonolência excessiva durante o dia, cansaço e dor de cabeça.

O tratamento de eletroestimulação seria uma alternativa às duas principais técnicas contra a doença utilizadas hoje. Uma delas é o CPAP, sigla em inglês para pressão positiva contínua do ar, em que o paciente usa uma máscara conectada a um aparelho que “empurra” o ar para as vias respiratórias. A outra é a cirurgia para correção de características anatômicas do aparelho respiratório que possam estar levando às obstruções no fluxo de ar.

O procedimento cirúrgico para implante do “marca-passo” contra apneia já foi feito com sucesso uma vez no Brasil, pelo Hospital Samaritano, em São Paulo. O paciente obteve uma autorização especial da Anvisa para receber o equipamento por uso compassivo, concedido nos casos em que o produto ainda não obteve registro na agência, mas já foi aprovado em outros países e se mostra promissor para o tratamento de determinada doença.

Atualmente, está em curso uma avaliação por parte da agência para concessão de registro para o eletroestimulador da marca ImThera. Existe ainda um eletroestimulador com a mesma finalidade produzido pela empresa Inspire Medical Systems.

Fonte: G1