Polícia Militar realiza reunião com moradores dos Bairros Santa Cruz e Jardim Botânico e oficializa Rede de Vizinhos Protegidos

0
23

DSC_0504

Como forma de inserir a população na questão da segurança pública local, a Polícia Militar realizou na noite desta terça-feira (14) no Salão Paroquial de Lagoa Formosa uma reunião com os moradores dos Bairros Santa Cruz e Jardim Botânico, a fim de oficializar a “Rede de Vizinhos Protegidos”. O programa visa à troca de informações entre os moradores e a Polícia Militar via aplicativo Whats App para a diminuição de crimes de patrimônio e outros delitos. A Rede de Vizinhos Protegidos já é institucionalizada pela Polícia Militar de Minas Gerais.

A estratégia, na verdade, não é nova. É um resgate aos antigos costumes de estender para a casa do vizinho o cuidado que cada um tem com a própria casa, além de estreitar o relacionamento entre eles. As ações de polícia comunitária através da Rede de Vizinhos, utiliza a tecnologia para lidar com mais eficácia e eficiência com os problemas do crime, principalmente na sua prevenção. Os objetivos da rede são: aproximar a comunidade e a Polícia Militar; reduzir os índices de criminalidade; dificultar a ação dos criminosos; recuperar a sensação de segurança; despertar o sentimento de pertencimento e de participação solidária e voluntária; transmitir orientações e dicas básicas de segurança.

Para explanar melhor a necessidade da rede, o Tenente Paulo César Teles fez algumas análises dos crimes em Lagoa Formosa, bem como as principais negligências dos moradores e vizinhos cometem que facilitam a entrada dos criminosos nas casas. Para que o morador faça parte da Rede de Vizinhos Protegidos de seu bairro, é necessário possuir um celular android ou smartphone e obter o aplicativo Whats App. Cada grupo terá um militar como administrador para evitar que pessoas que não sejam do bairro obtenham as informações ali repassadas.

A Placa da Rede de Vizinhos Protegidos pode ser colocada na residência, sinalizando que aquela residência faz parte do grupo.
A Placa da Rede de Vizinhos Protegidos pode ser colocada na residência, sinalizando que a mesma faz parte do grupo e desencorajando a ação dos criminosos.

 

Os grupos oficializados até o momento na cidade são os dois grupos – do Bairros Jardim Botânico e do Santa Cruz- e o da Rede de Lojistas Protegidos, que foi uma iniciativa da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Lagoa Formosa. Em reunião, Tenente Teles comentou que para não comprometer o objetivo do grupo  devem ser enviadas somente mensagens relativas a segurança pública, ou seja  fotos vídeos, áudios e mensagens que não estejam nesse contexto  não serão permitidas. Caso o integrante do grupo não respeite as regras, o mesmo será excluído do grupo.

“O objetivo da Rede de Vizinhos Protegidos é sensibilizar o compartilhamento de informações entre os próprios vizinhos, agregando outros valores no contexto de segurança pública como por exemplo o estímulo da amizade e do cuidado para com os vizinhos”, comentou Tenente Teles.

O tenente comentou ainda que a criação do grupos foi uma iniciativa dos moradores dos bairros, que ficaram assustados com a incidência de crimes local. “Os criminosos já estavam conseguindo até transpor a cerca elétrica das casas desses bairros. Eles retiravam a haste e passavam por cima ou por baixo da cerca, isso por ser um modo diferente incomodou muito os moradores. Após a criação dos grupos não houve nenhuma ocorrência de furto registrada nesses bairros”, finalizou.

“Eu gostei muito da ideia da Rede de Vizinhos Protegidos, pois é uma forma de manter monitorado nosso bairro. É importante sabermos o que está acontecendo a nossa volta e a tecnologia esta aí para nos auxiliar. Se tiver um carro ou uma pessoa suspeita em nossa rua, todos vamos saber”, comentou Luciana Magalhães, moradora do bairro Santa Cruz.

Caso os moradores dos outros bairros queriam se mobilizar para criar um grupo, basta procurar o quartel da Polícia Militar ou contatar um militar para viabilizar a criação do grupo.