Quatro pessoas que morreram em tragédia na BR-365 foram identificadas

0
22

A Polícia Rodoviária Federal identificou as quatro pessoas que morreram no grave acidente no quilometro 419 da BR-365. Os nomes foram divulgados na manhã desta segunda-feira (30/09). Os dois suspeitos de provocar o acidente continuam presos. 27 pessoas ficaram feridas.

O motorista da carreta que morreu carbonizado dentro do veículo é Manacésar Bernardes da Costa, de 47 anos. Já o casal de idosos que morreu no dentro do ônibus foram identificados como Antonio Souza Menezes e Rosilda Alves. Já o passageiro do ônibus que morreu de parada cardiorrespiratória após dar entrada no Hospital Regional Antônio Dias foi Marcos Pedro da Silva.

Já os suspeitos de provocarem o acidente na BR-365 continuam detidos na delegacia de Polícia Civil de Patos de Minas, aguardando procedimento de flagrante. Bruno Amaral Carneiro teria confessado para a Polícia Rodoviária Federal que conduzia o veículo FORD/New Fiesta de cor branca no momento do acidente. Ele teria saído da estrada de chão que liga a comunidade rural de Lanhosos, entrado na pista e atingido a lateral do ônibus.

Segundo a PRF, após a batida, Bruno Amaral Carneiro teria assumido a direção do veículo e ambos evadiram do local no carro, sem prestar socorro às vítimas. O veículo foi parado durante uma fiscalização de rotina em frente a sede da 10ª Delegacia de Polícia Rodoviária Federal.

Bruno Amaral Carneiro realizou teste do etilômetro que constatou o teor de 0,27 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões. Até 0.30mg/l é considerado medida administrativa (multa) e não cabe a prisão. Porém por se envolver em acidente, Bruno Carneiro vai responder por homicídio culposo na direção de veículo automotor, omissão de socorro e afastar-se o condutor do veículo do local do acidente, para fugir à responsabilidade penal ou civil que lhe possa ser atribuída.

Já o outro envolvido, Bruno Xavier Coelho, que dirigia o veículo no momento da abordagem foi preso por suspeita de conduzir veículo com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool – embriaguez ao volante, omissão de socorro e afastar-se o condutor do veículo do local do acidente, para fugir à responsabilidade penal ou civil que lhe possa ser atribuída. Durante teste realizado com o etilômetro, ficou constatado que o valor de 0,71 mg/l.

TEXTO E FOTOS: PATOS NOTICIAS.