Viciada em frituras? Consumo excessivo aumenta risco de morte em mulheres

0
44

Um novo estudo feito por pesquisadores da Universidade de Iowa (EUA) mostrou que o consumo excessivo de frituras aumenta o risco de morte em mulheres. Os cientistas também analisaram quais alimentos são mais perigosos para a saúde. As evidências foram publicadas no periódico BMJ.

A equipe recrutou mais de 100 mil mulheres entre 50 e 79 anos que fizeram parte de um estudo de Iniciativa da Saúde da Mulher entre 1993 e 1998. Eles descobriram que o consumo de ao menos uma fritura por dia já aumentava o risco de morte por qualquer causa em 8%.

Como parte desse estudo, as voluntárias preencheram questionários detalhando hábitos alimentares. Elas relataram a quantidade específica de alimentos fritos que consumiam. Os cientistas dividiram o consumo em três categorias:

  • Frango frito;
  • Peixe frito, camarão e ostras;
  • Batatas fritas;
  • Tortillas e tacos.

Ao analisar as respostas, a equipe confirmou que havia uma correlação entre comer frituras em uma base regular e um aumento do risco de morte por qualquer causa. A associação foi forte para a morte relacionada a problemas cardíacos

Durante o trabalho de pesquisa, 31.588 participantes morreram. Dessas mortes, 9.320 foram devidas a problemas cardíacos, 8.358 foram relacionadas ao câncer e 13.880 tiveram associações com outras causas.

Depois de levar em consideração fatores como estilo de vida, qualidade da dieta, renda e nível educacional, os cientistas descobriram que comer pelo menos uma porção de frango frito por dia levou a um aumento de 13% no risco de morte por todas as causas e um aumento de 12% no risco de morte relacionado a problemas cardíacos.

No entanto, os alimentos fritos não aumentaram o risco de câncer nas mulheres que consumiam mais alimentos fritos.

Os pesquisadores também observaram que as mulheres mais propensas a consumir uma dieta rica em frituras regularmente estavam na faixa etária mais jovem e tinham menor renda, dieta de pior qualidade e ainda eram fumantes.

“Reduzir o consumo de alimentos fritos, especialmente frango frito e peixe frito / marisco, pode ter impacto clinicamente significativo em todo o espectro da saúde pública”, escreveu um dos autores no artigo.

Do UOL VivaBem, em São Paulo

25/01/2019 14h14

FOTOS RETIRADAS DA INTERNET.